Rotaer Eletrônico

Entre em contato com o Rotor Central.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Chile: helicóptero pilotado por Piñera pousa em estrada por falta de combustível

SANTIAGO — Um helicóptero que era pilotado pelo presidente do Chile, Sebastián Piñera, aterrissou repentinamente em uma estrada do sul do país devido à previsão de ficar sem combustível, segundo um vídeo divulgado na noite de domingo por uma emissora local de TV.

O vídeo amador, transmitido pela emissora privada Mega TV, mostra o helicóptero Robinson 44 em uma estrada pavimentada, enquanto o presidente, bem humorado, fala com moradores de Cobquecura (270 km ao sul de Santiago), explicando que estava com pouco combustível.

Nas imagens aparecem os moradores locais, surpreendidos com o helicóptero e a presença do presidente, ajudaram Piñera, que os consultou sobre o local específico onde se encontrava.

Após conhecer sua localização, o presidente chamou a polícia para que o ajudasse.

O vídeo continua mostrando, minutos depois, um helicóptero da polícia chilena chegando até o local para abastecer a aeronave.

"Estávamos com pouca gasolina", disse Piñera aos policiais, no áudio do vídeo.

Finalmente, o presidente subiu no helicóptero e seguiu viagem até o lago Ranco, na IX região, 700 km ao sul do Chile, onde Piñera tem uma propriedade.

Sebastián Piñera é piloto há mais de cinco anos e assegurou que continua pilotando porque precisa de horas de voo para renovar sua licença.

O episódio, que aconteceu no sábado, mas só foi divulgado no domingo no país, gerou forte polêmica no Chile sobre os riscos que o presidente corre.

No ano passado, quando não tinha tomado posse como presidente, a polícia encarregada de sua segurança o aconselhou a parar de pilotar helicópteros e praticar mergulho por considerar que eram atividades arriscadas.

Fonte: Copyright © 2011 AFP. Todos os direitos reservados.

SP enfrenta congestionamentos de aviões e helicópteros

Num céu com tantos aviões e helicópteros, como em São Paulo, há congestionamento no ar. Menos do que nas ruas, mas existe. O espaço aéreo também suas vias principais, que são bem disputadas. Veja o vídeo.

FAB encerra operações na região serrana do Rio

A Força Aérea Brasileira (FAB) vai encerrar as atividades de apoio e socorro às vítimas da tragédia na região serrana do Rio de Janeiro hoje. Os acampamentos e a Unidade Celular de Intendência serão desmontados e transportados para as unidades de origem da Aeronáutica.

O sistema de informação e alerta de voo, que proporciona maior segurança no tráfego de helicópteros, teve suas atividades encerradas no início da tarde de quarta-feira, nas cidades de Nova Friburgo e Teresópolis. No distrito de Itaipava, em Petrópolis, o sistema foi desativado às 19h de ontem.

Durante dez dias de operações, o sistema registrou 1,7 mil movimentos aéreos. A média diária foi de 170 deslocamentos de helicópteros. A maior concentração foi registrada entre os dias 17 e 20, quando houve uma média de 350 movimentos de aeronaves por dia.

A cidade de Nova Friburgo apresentou o maior número de deslocamentos de helicópteros: 996. Durante a operação, a FAB transportou 47 toneladas de carga em helicópteros, 787 passageiros, incluindo 62 pessoas que foram resgatadas em áreas de risco. As informações são da Agência Brasil.

Fonte: www.estadao.com.br

Go Air Informa : Meteorologia x Acidentes Aeronáuticos.

Exemplo de Esteira de Turbulência (wake)

A importância das condições meteorológicas para a segurança e a economia dos voos foram a tônica da palestra realizada no último dia 19, no Auditório da Go Air, com a presença em massa dos alunos, pilotos e demais profissionais dos ares. Ministrada pelo especialista em Meteorologia Aeronáutica, Prof. Dr. Edson Cabral, que também responde pela coordenação do curso superior em Aviação Civil da Universidade Anhembi-Morumbi, foram apresentados na ocasião números relacionados aos acidentes provocados pela ação do tempo atmosférico e os principais fenômenos que podem representar risco quando se está nos ares.

No período de 1943 a 2007, foram levantados do site da Aviation Safety Network 12.200 acidentes aeronáuticos em todo o mundo, sendo aproximadamente 23% deles ocasionados por fatores meteorológicos. Restrição de visibilidade devido a poeira, chuva, névoa; restrição de teto; formação de gelo; esteira de turbulência (Wake); relâmpago e granizo estão entre os fatores comprometedores da segurança. Atenção e estudo das condições atmosféricas nunca é demais e têm papel primordial quando o assunto é segurança de voo.

Helicópteros também geram esteira de turbulência. As esteiras mais intensas podem ocorrer quando o helicóptero está operando a baixas velocidades (20 a 50 nós).



Erupção do Vulcão Vesúvio

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Helicóptero da Globo e prédio da prefeitura do Rio são alvo de disparos e faz pouso corrido em Jacarápagua.

Aeronave foi atingida ao tentar fazer imagens de operação policial no Rio. Houve intensa troca de tiros no Morro da Mineira, devido a ocupação do local por cerca de 150 policiais.

SÃO PAULO e RIO - A TV Globo informou que o helicóptero da emissora foi atingido por três disparos na manhã desta segunda-feira, 24, enquanto acompanhava uma operação policial no Complexo de São Carlos, no Estácio, zona norte do Rio de Janeiro. Tiros também atingiram as vidraças do centro administrativo da prefeitura do Rio.

Fábio Motta/AE 

Fábio Motta/AE Uma das janelas atingidas na prefeitura

Globocop tirosTiros Globocop

Veja também:
linkArmas e drogas são apreendidas durante a operação

Cerca de 150 homens de diversas delegacias especializadas participam da ação no Morro da Mineira. Houve intensa troca de tiros no momento que o helicóptero foi atingido. A prefeitura confirmou que balas estilhaçaram vidraças no 10.º e no 14.º andares, onde funcionam secretarias municipais. No horário, já havia funcionários trabalhando no prédio e houve pânico, mas todos ficaram abrigados no corredor até a ordem da equipe de segurança para que deixassem o prédio e ninguém se feriu.

Uma das cinco janelas de vidro foi do pavimento reservado ao gabinete do prefeito Eduardo Paes. Não se sabe se foram balas perdidas ou direcionadas à prefeitura. No fim da manhça, os funcionários aguardavam notícias no saguão do Centro Administrativo São Sebastião. Ainda não há informação saber se haverá expediente.

Em nota, a prefeitura reafirmou "seu apoio e sua confiança na política de segurança do governo estadual que, através do combate firme ao crime organizado e da pacificação, tem libertado milhares de famílias que viviam sob o poder de criminosos".

No Globocop, além do piloto, Antonio Ramos, estavam na aeronave a repórter Karina Borges e o operador de sistemas Roberto Mello Reis. Ninguém ficou ferido. "Pelo menos um dos projéteis atingiu a região próxima ao rotor de cauda da aeronave, modelo Eurocopter AS-350 B2, obrigando o piloto a realizar um pouso forçado no Aeroporto de Jacarepaguá", informou a emissora.

A Aeronáutica afirmou que a aeronave foi alvejada por disparos minutos após levantar voo, às 8h50; por volta das 9h20, o helicóptero pousou no aeroporto. Técnicos da 6º Delegacia de Polícia, de Cidade Nova, serão responsáveis pela perícia.

A polícia confirmou que realiza uma operação no Morro da Mineira para apreender drogas e armas. O helicóptero blindado da Polícia Civil também foi alvo de vários disparos, mas não foi atingido. Não há notícias de vítimas no local.

Fontes: www.estadao.com.br e http://g1.globo.com

Helibras agiliza manutenção de helicópteros para atendimento às vítimas na Serra Fluminense

image

A Helibras disponibilizou uma equipe técnica para intensificar os trabalhos de manutenção e permitir rápidas intervenções técnicas, com o objetivo de manter no ar os helicópteros que trabalham no transporte de alimentos e pessoal médico e no resgate às vítimas dos deslizamentos nos municípios da Serra Fluminense.   “Temos atualmente uma força-tarefa com seis dos nossos mecânicos ajudando a manter em serviço os helicópteros das linhas da Helibras/Eurocopter. Temos Esquilos, Panteras e Super Pumas provenientes das três Forças Armadas e das forças policiais operando em toda a região, e até mesmo o recém-entregue EC145 da PM do Maranhão, todos trabalhando duro para trazer esperança para a população de Teresópolis e cidades vizinhas”, afirmou o presidente da Helibras, Eduardo Marson.   Segundo Vitor Coutinho, gerente de manutenção da Helibras, “estamos com 29 helicópteros da Helibras/Eurocopter na região, e nosso objetivo é contribuir para que o maior número deles se mantenha em operação”. Ele diz que, além de disponibilizar para o serviço uma aeronave do governo do Rio de Janeiro que estava em manutenção em Itajubá, a empresa enviou uma equipe até o Espírito Santo, liberando mais dois helicópteros que eventualmente podem ser disponibilizados para os trabalhos de busca e salvamento na região serrana do Rio.   Uma equipe da Helibras foi enviada ao Rio de Janeiro para liberar outro helicóptero do governo que necessitava de manutenção. Esses mesmos técnicos vão realizar, também naquela cidade, inspeções nas aeronaves da Polícia Militar de São Paulo que foram enviadas para a região atingida. Outro técnico da empresa foi enviado para dar apoio exclusivamente a uma aeronave do modelo EC145 cedida pelo governo do Maranhão, e que foi disponibilizada e incorporada à força-tarefa que trabalha desde a semana passada nas regiões atingidas.   Esse esforço da Helibras para o envio de técnicos e ferramentas até as áreas de operações das aeronaves foi resultado de um contato da Diretoria da empresa com as autoridades do estado, oferecendo apoio assim que os trabalhos de resgate foram iniciados.   O presidente da Eurocopter, Lutz Bertling, elogiou a iniciativa e o empenho das equipes da Helibras. “Servir em tais situações de apoio às vítimas de desastres é uma das missões mais nobres que os nossos helicópteros podem cumprir”, afirmou o dirigente. Donativos   A Helibras também iniciou uma campanha na cidade de Itajubá para arrecadar donativos para auxiliar as vítimas das enchentes que atingiram diversas cidades no sul de Minas Gerais e para os atingidos pelos deslizamentos na Serra Fluminense. Em parceria com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura local e outras empresas locais, a empresa está convidando funcionários para atuarem como voluntários na arrecadação e organização das doações de água, roupas de cama e materiais de limpeza e higiene pessoal além de alimentos, e vai providenciar o transporte de todos os materiais até as sedes da Cruz Vermelha em Minas Gerais e no Rio de Janeiro.

Fonte: http://www.helibras.com.br

sábado, 22 de janeiro de 2011

Setor de helicópteros aguarda expansão da frota pela Petrobras

Fabricante americana Sikorsky projeta dobrar fornecimento de aeronaves, principalmente de grande porte

André Vieira, enviado especial a Macaé (RJ) | 21/01/2011 05:52

image

S-92, a aeronave de grande porte da Sikorsky: capacidade de voo para vencer a distância até o pré-sal

Representantes do setor de helicópteros estão confiantes no crescimento da frota contratada pela Petrobras para atender o crescimento da demanda gerada pelo pré-sal.

“O Brasil é provavelmente o maior mercado potencial no curto prazo, principalmente na área de apoio às atividades de exploração offshore de petróleo”, diz Marcos de Souza Dantas, diretor-gerente da Powerpack, empresa que representa os negócios da fabricante americana Sikorsky no Brasil. “A expectativa é que haja no mínimo uma duplicação da frota atual, com um foco maior no de grande porte”.

Nos últimos tempos, a Sikorsky vendeu no mercado brasileiro seis aeronaves S-92, helicópteros de grande autonomia e porte que acomodam mais de 18 passageiros. De acordo com Dantas, a Sikorsky tem planos iniciar a expansão de sua presença no país para poder melhor apoiar a crescente frota de helicópteros civis e militares.

Diante da ampliação da demanda, as empresas que operam serviços de helicópteros e possuem contratos com a Petrobras estão se esforçando em ampliar seu quadro de pilotos. A BHS (Brazilian Helicopters Services), uma subsidiária da canadense CHC, a maior operadora de helicópteros do mundo, tem cerca de 60 pilotos e co-pilotos no País, número que deverá chegar a 130 nos próximos anos. “Vamos dar um salto nos próximos três a quatro anos. Mas o que preocupa hoje é a falta de gente especializada”, diz Décio Galvão, diretor-executivo da BHS.

Foto: Fabrizia Granatieri Ampliar

Simulador de voo de helicóptero: investimentos da BHS para capacitar pilotos

Com três bases instaladas em Macaé, Jacarepaguá e Cabo Frio, todas no Estado do Rio, a empresa tem conseguido reforçar seu quadro de pilotos atraindo com profissionais da aviação civil, empresa rivais, das Forças Armadas e ajudando na formação de jovens. Instalou, por exemplo, um simulador de voo, um equipamento avaliado em US$ 300 mil.

A BHS tem trazido instrutores estrangeiros do exterior para dar aulas. No entanto, a legislação permite que os professores estrangeiros fiquem apenas três meses, e o custo de manter um instrutor é considerado alto pela empresa. “Cada um custa US$ 30 mil a US$ 40 mil por mês”, diz Galvão. Para tentar reduzir os custos, a empresa estuda fechar parceria para criação de uma escola de professores de pilotagem de helicópteros com outras operadoras de serviços aéreos a fim de capacitar os pilotos que atenderão a demanda do pré-sal.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Comissão vai investigar causa do acidente com helicóptero do Exército

Três militares, voluntário da Cruz Vermelha e funcionário de prefeitura ficam feridos

POR FERNANDA ALVES

Rio - Um helicóptero do Exército que prestava socorro às vítimas das chuvas caiu no início da tarde de ontem quando tentava pousava no Mercado dos Produtores, o Ceasa de Conquista, em Nova Friburgo. Os cinco tripulantes da aeronave — três militares, um voluntário da Cruz Vermelha e um funcionário da Prefeitura de Teresópolis — ficaram feridos, mas nenhum com gravidade. Aeronaves como esta atenderam a centenas de vítimas da tragédia, que matou 757 pessoas — número de corpos encontrados até a noite de ontem.

Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia

Pessoas que estavam no local ajudaram no resgate dos feridos. Bombeiros jogaram água no helicóptero para evitar explosão | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia

O capitão Eduardo Leopoldo Vieira, o tenente Ricardo Jacinto dos Santos Filho e o sargento Igor Matheus de Freitas Lima foram levados para o Hospital de Campanha da Marinha e liberados em seguida. As outras duas vítimas, o ouvidor da Prefeitura de Teresópolis Ricardo Raposo e o presidente da Cruz Vermelha de Teresópolis, Herculano Abraão, receberam atendimento no Hospital de Campanha dos Bombeiros, fizeram exames de tomografia e foram transferidos para o Hospital Municipal Raul Sertã, em Friburgo, unidade que nos primeiros dias de chuva teve o primeiro andar invadido por água e lama.
Outros voos
O acidente, que aconteceu às 12h50, teria sido causado por um forte vento. A aeronave se preparava para pousar no Ceasa, local onde foi montada uma base de distribuição de donativos pelos policias do Batalhão de Operações Especiais (Bope), quando caiu. O piloto do helicóptero, que já tinha conduzido outros voos antes da queda, conseguiu jogar o helicóptero em cima de uma montanha de esterco, o que reduziu o impacto e evitou que ocorresse uma explosão.

>> FOTOGALERIA: Friburgo tenta sobreviver após tragédia que devastou a cidade

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, estava no Mercado e viu a queda.
“Vi que o helicóptero ia na direção do Ceasa. Escutei um barulho alto e vi fumaça. Corri com os homens do Bope para socorrer os tripulantes”.
O caminhoneiro Leonildo Medeiros, 40 anos, também presenciou o acidente. “Foi um momento de agonia. O combustível vazava e estávamos com medo de explosão. A preocupação era retirar os feridos a tempo. Um dos passageiros do helicóptero saiu bem machucado, com o rosto sangrando muito”.
Comissão vai investigar causa do acidente
De acordo com o major Rovian Janjar, relações-públicas do Exército, foi criada comissão para apurar a queda do helicóptero. A investigação começou ontem e o laudo com as causas do acidente será concluído em 30 dias. Ainda segundo major, o socoro às vítimas continuará com outras cinco aeronaves.
O acidente com o helicóptero não foi o primeiro com integrantes da Cruz Vermelha em Nova Friburgo. O voluntário Bruno da Costa Jacinto, 24 anos, que saiu do Rio para a Serra com doações, sofreu acidente de carro quando voltava para casa, há dois dias. Ele fraturou vértebra e foi levado para o Hospital Azevedo Lima, em Niterói. Bruno será operado por equipe de neurocirurgia da unidade na próxima semana. Ele vive momentos de angústia: parte de sua família que mora em Friburgo está desaparecida.
Devido ao grande número de pessoas instaladas em abrigos de Teresópolis, há até turnos para o jantar.

Fote: http://odia.terra.com.br

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Granja Comary vira base aérea para resgates na Região Serrana do Rio

Helicópteros das Forças Armadas usam campos de futebol da Seleção Brasileira para pouso e decolagem em Teresópolis

A CBF cedeu as instalações da Granja Comary, centro de treinamento da Seleção Brasileira em Teresópolis, para auxiliar no resgate das vítimas das chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro. Segundo informações do G1, até a manhã deste domingo o número de mortos chegou a 619.

Helicópteros das Forças Armadas estão usando os campos de futebol da CBF para pouso e decolagem. A chegada das aeronaves foi registrada pelo repórter Rafael Coimbra, do canal GloboNews, e divulgada pelo Twitter.

granja comary serve de base do exército para ajuda na região serrana

Helicópteros usam os campos da Granja Comary como base em Teresópolis (Foto: Rafael Coimbra / Twitter)

A cidade de Teresópolis foi escolhida como base por estar em uma região central das áreas mais castigadas. Pelos últimos levantamentos das prefeituras, são 284 mortos em Nova Friburgo, 261 em Teresópolis, 53 em Petrópolis,19 em Sumidouro e 2 em São José do Vale do Rio Preto.

Apesar das chuvas que castigaram a Região Serrana no começo da última semana, a Seleção Brasileira sub-20 ficou concentrada na Granja Comary até a última quinta-feira, quando embarcou para a disputa do Sul-Americano Sub-20 no Peru.

O Botafogo havia reservado o centro de treinamento para fazer a pré-temporada, mas o clube cancelou a concentração na Granja Comary por causa da tragédia.

- Não tem clima para irmos a Teresópolis por causa de tudo o que acontece lá. Assim, estamos descartando - disse o técnico Joel Santana.

Fonte: http://globoesporte.globo.com

Em Teresópolis, campo de futebol vira estacionamento de helicópteros

Cinco aeronaves usam o Várzea Futebol Clube como base de apoio.
Buscas na Região Serrana entram no 6º dia.

image

O campo de futebol do Várzea Futebol Clube, no bairro Hermitagem, em Teresópolis, virou uma espécie de estacionamento de helicópteros que ajudam no auxílio às vítimas das chuvas na Região Serrana.

No Estádio Almirante Heleno de Barros Nunes, ficam 5 helicópteros que ajudam no resgate, atendimento e distribuição de mantimentos pelas áreas isoladas. São dois helicópteros da PM-SP, um da Força Nacional de Segurança, um do IBAMA e outro particular.

O Várzea Futebol Clube também tem concentrado as doações que chegam para a cidade. Segundo a psicóloga Mary Pereira, que trabalha como voluntária para a campanha organizada pelo twitter da Lei Seca-RJ, 36 toneladas de alimentos começaram a ser distribuídos no último sábado.

doações teresópolis

Local concentra as doações que chegam a Teresópolis (Foto: Henrique Porto/G1)

São alimentos, produtos de higiene pessoal, fraldas, água, colchões e brinquedos que saem do Várzea Futebol Clube em caminhões do Exército e helicópteros. A prioridade é para os bairros que ainda não foram atendidos, como Pessegueiros, Matadouro e Vieiras. Ainda de acordo com a psicóloga, são necessários remédios e mais alimentos.

Ao todo, as chuvas já mataram mais de 640 pessoas no estado. Em Teresópolis, a prefeitura informou que há 36 desaparecidos, segundo a Central de Cadastro de Desaparecidos.

As buscas por outras vítimas que ainda estejam soterradas e o trabalho de resgate da população que ainda se encontra em áreas isoladas entrou nesta segunda-feira em seu 6º dia, principalmente nos municípios de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis.

Não há registro de chuva nas três cidades nesta manhã, mas a previsão do tempo ao longo do dia é de pancadas de chuva e trovoadas, em toda a Região Serrana. As chuvas de domingo (16) voltaram a provocar queda de barreiras e dificultaram o trabalho de resgate e de limpeza das ruas.

Fonte: http://g1.globo.com

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Notícias Go Air - Meteorologia Aeronáutica abre calendário de palestras na Go Air na quarta-feira (19/01)

O coordenador do Curso Superior em Aviação Civil da Universidade Anhembi-Morumbi, prof. Edson Cabral, abrirá o calendário 2011 de palestras no Auditório da Go Air - Escola de Aviação Civil. Na próxima quarta-feira (19/01), às 16 horas, o especialista na área de Meteorologia Aeronáutica abordará o tema “O Papel da Meteorologia nos Acidentes Aeronáuticos”.

Doutorado em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP) com especialização em Administração de Empresas pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, Edson Cabral trabalhou como Profissional de Meteorologia durante 14 anos na INFRAERO e ministrou instrução de Meteorologia para pilotos e Despachantes Operacionais de Voo da TAM durante 3 anos e meio. Atualmente, é professor doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e assessor acadêmico e professor doutor da Universidade Anhembi Morumbi. Diretor-secretário da Associação Brasileira de Climatologia, é membro do conselho editorial da Revista Brasileira de Climatologia e colaborador da Revista Aero Magazine e dos sites http://www.ventonw.cjb.net, http://www.oaviao.com, http://www.att.org.br e http://www.tamflightsafety.com.br/.

A palestra é gratuita e aberta a pilotos, alunos e demais profissionais da aviação. Inscrições abertas. Informações na Go Air com Thyago Barreto no telefone 11 2221 5498 ou no email thiago@goair.com.br . Compareça.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Notícias Go Air - Ground School R22 na Go Air - Calendário 1º trimestre 2011

A programação da Go Air – Escola de Aviação Civil para Pilotos de Helicóptero começa agitada logo na primeira semana de 2011. No próximo sábado (08/01) acontece o primeiro ground school do ano de Robinson 22, das 9 às 17 horas, no hangar da Go Air, sob a instrução e coordenação da Cmte Jovilde Calisctil (EC-PREV / CENIPA nº 03.196), safety da Go Air. Entre janeiro e março, outros grounds estão previstos no calendário oficial da escola.

Mais informações e inscrições na própria escola com o Thyago (thiago@goair.com.br).

!cid_EE7C16BCB1E6417EB0AD6A41A12B7EE0@carolinaPC

domingo, 2 de janeiro de 2011

Vendas de helicópteros disparam no Brasil

image

SÃO PAULO - O mercado de helicópteros no Brasil mostrou uma forte recuperação neste ano, de carona no bom desempenho do chamado ?mercado executivo?. A Helibras, subsidiária da Eurocopter, quintuplicou as vendas para a iniciativa privada, passando de 5 unidades, em 2009, para 25, em 2010.

A expansão das vendas totais também foi significativa. A companhia comercializou 35 unidades em 2010, comparado com 14 no ano passado. O desempenho das compras do setor público, porém, quase não mudou. O governo brasileiro adquiriu nove helicópteros da Helibras no ano passado e 10 neste ano.

O padrão se repetiu na TAM Aviação Executiva, que representa a americana Bell no Brasil e diz ter crescido por causa das compras feitas por grandes companhias privadas e por empresas de táxi aéreo, que fazem viagens de helicópteros para executivos. De acordo com Leonardo Fiuza, diretor comercial da companhia, o número de aeronaves vendidas quintuplicou entre 2009 e 2010, passando de quatro para 20 unidades. ?Este ano foi o melhor para a Bell nesta década?, afirma Fiuza, ressaltando que a empresa espera voltar a bater recorde nos próximos anos.

Os modelos mais vendidos pela TAM são o Bell 407, comercializado por US$ 2,95 milhões, e o Bell 429, que custa US$ 5,8 milhões. A maior parte da procura é por modelos monoturbina, para deslocamentos na capital paulista e região metropolitana.

Em 2009, ainda durante a crise, a Helibras firmou com o governo brasileiro um contrato de 2 bilhões para a produção de 50 helicópteros militares ao custo de US$ 30 milhões cada. O valor inclui a implantação de uma nova linha de produção em Itajubá (MG), onde a companhia mantém uma fábrica há mais de 30 anos, e a transferência de tecnologia para a fabricação do modelo EC725 no País a partir de 2012. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Radar ADS-B ModeSMixer2

METEOROLOGIA